Jump to content
Chase History

Ficlet de terror (Insight)


SemCrise
 Share

Recommended Posts

SemCrise    216

                                                                                                                           Erudon Vs. Sieghart                                                              

 

                                                                               Aviso: Contém cenas de violência, possíveis mutilações e linguagem imprópria!

 

 

Ronan Erudon

O jovem Erudon havia seguido calmamente em meio ao caminho tortuoso, aquele vale trazia-lhe demasiadas lembranças. Ali haviam sido sepultados muitos de seus melhores homens e a Guarda Real para sempre seria marcada por aqueles cinco anos de guerra e destruição. Nunca se esquecerá do último dia da Grande Guerra, em que neste mesmo local, havia sido feito um juramento entre os dois reinos, uma unificação que simbolizava a paz, a esperança, um novo começo para Serdin e Canaban. Ansiava nunca ter de lutar novamente naquelas terras, mas por alguma razão o encontro com o imortal em tal terreno tão isolado, trouxera ao guerreiro um sentimento que a muito tinha esquecido e isso o agradava. - Então Sieg, não se importa mesmo se duelarmos aqui e agora?

*

Ercnard Sieghart

O imortal ergueu o olhar por cima do ombro. Trazia uma expressão de melancolia, talvez porque estivesse repleto desta emoção ao olhar a paisagem, mas abriu um sorriso torto ao ver o guerreiro. - Duelar? - Sorriu fraco, mas deu de ombros, erguendo-se de onde estivera sentado pelas últimas horas, sentindo suas pernas cambalearem, postou-se frente à frente com o outro Canabanense. - Criança, você sabe o que esse lugar significa? - Uma pequena pausa. - E se você sabe, não acha  um pouco desonroso de nossa parte lutar em cima dos cadáveres de pessoas do nosso reino? - Percebeu uma pequena mudança na expressão dele, talvez constrangimento, deu de ombros. - Mas você está certo. Essa terra está manchada de sangue. Acredito que não venha haver outro lugar para esse embate senão aqui ou hoje. - Sieghart endireitou a coluna e descansou a mão direita sobre uma de suas espadas embainhadas. - Mas será que conseguirá lutar contra uma lenda?

*

Ronan Erudon

- Bom… - deixou o olhar vagar pelo céu, pensativo –No passado, a guerra levou tudo… Minha família, meus amigos, estão aqui, na época eu era inexperiente e não fui capaz de deter Cazeaje e por causa disso… Se eu não for forte o suficiente para lutar contra uma lenda – Volta o olhar para o imortal e sorri – … Como serei capaz de defender aqueles que eu jurei proteger? – Pega o Gládio dos Erudon e aponta ele na direção do oponente –Pela Glória de Canaban!

*

Ercnard Sieghart

O imortal estalou a língua, divertindo-se. - Deter uma bruxa de quinta não é nada equiparado ao poder de um imortal, Erudon. - Então sorriu. - E acho que é minha responsabilidade ensinar que crianças não deveriam brincar com armas. - Observou a movimentação ofensiva dele e manteve-se parado, na mesma posição que começara. Pode ouvir, quase em um murmúrio, o vento balançar a copa das altas árvores e o som nostálgico o fez sorrir. - Mas morrer é escolha sua. - Com o punho direito fechado, usou de seu pulso e antebraço para empurrar para longe o gládio do guerreiro, se aproximando em poucos, porém longos, passos, usando-se de seu braço esquerdo para desembainhar uma de suas espadas gêmeas e cortar o ar horizontalmente, almejando atingir o outro.

*

Ronan Erudon

-Isso foi um erro! – Vendo-se perante um movimento vagamente inesperado, o jovem não viu escolha a não ser recuar rapidamente alguns passos, mas ainda assim, aproveitando-se do pequeno espaço entre eles, o Arcano usa a mão livre para disparar um Choque Elétrico à queima roupa.

*

Ercnard Sieghart

O imortal deu um salto para trás, embainhando sua espada no ar e esquivando-se no último momento do ataque mágico e assim que recolocou os pés no chão, agachando-se por causa da fluidez de movimentos, impulsionou-se novamente em um ataque frontal contra o outro. Puxou sua espada direita. - Carga Pesada!

*

Ronan Erudon

Da um salto para trás como reflexo, mas não conseguindo sair a tempo de escapar do golpe, logo o guerreiro arcano não vê escolha e cria um Escudo Rúnico que bloqueia a lâmina habilmente – Não… – Tamanha a força vinda do ataque direcionado contra a barreira mágica que o Canabanense teve de recuar mais um pouco para não correr o risco de ser acertado por uma outra investida como aquela. - …Não serei derrotado por um velho como você. – Sorri animado.

*

Ercnard Sieghart

Suas espadas já estavam outra vez embainhadas e o moreno ficou parado, observando o adversário, porém não pode esconder o riso. - Deveria ter mais respeito criança… - Avançou outra vez, iniciando uma sequência de golpes com as espadas e observando-o desviar destes com destreza. - … Afinal de contas, sou eu quem sempre resolvo as confusões de vocês, mortais. - Outro riso arrogante e então o empurrou em um chute forte por cima da armadura de seu tórax, guardando as lâminas e esperando o próximo golpe do mais novo.

*

Ronan Erudon

Sente os músculos se tencionarem ao buscar o equilíbrio, usa o Gládio de apoio só para ter certeza de que não haveria chances de cair – Admito que subestimei você. – Finca a lâmina na terra e se ajoelha junto da própria arma, começa a entoar um encantamento, com uma calma além do normal, fitando somente a lâmina de tom azul usada por seus antepassados. – Mas devo mencionar que você deve estar me julgando mal Sieghart. – Fala baixo, sem desviar o olhar.

*

Ercnard Sieghart

Estreitou o olhar, mantendo-se firme no lugar enquanto o observava. - Subjugando? Não. Estou colocando-o em seu equivalente patamar. - Murmurou, desconfiado. Sem necessariamente saber o que o mais novo iria fazer, avançou, o punho fechado pronto para um soco, atirando ambos na grama.

*

Ronan Erudon

Deixando-se atingir pelo soco, sem ao menos se dar o trabalho de revidar, caído na grama com o imortal tão próximo dele, o rapaz toca um dos ombros do outro, quase cordialmente e sorri. – Vamos lutar pra valer então… – De súbito da uma forte cabeçada contra a dele, sem perder tempo empurra o ombro do mesmo e se afasta rapidamente, ignorando o latejar da cabeça e a tonteira, se concentra em segurar novamente a arma fincada no chão, usando de alguma força retira ela da terra bruscamente. Rente a lâmina agora havia uma aura rubra. 

*

Ercnard Sieghart

-Ouch! - Resmungou, ainda caído no chão e passando a mão pela testa dolorida. - Pirralho cabeça dura. - Ergue-se do chão rapidamente, observando-o agarrar o gládio, agora avermelhado, e avançar contra si. Desviou dos golpes como pode, recuando seus passos meio trôpegos pela pancada na cabeça e assim que sentiu-se seguro o suficiente, desembainhou uma de suas lâminas, acertando sua empunhadura no tórax do outro e cancelando seu combo. - Se você acha que vai ser tão fácil assim, está enganado. - Sorriu e puxou suas armas, iniciando uma sequência de golpes na horizontal e diagonais, mirando pelas partes desprotegidas da armadura dele, sem muito sucesso. - Agora vamos ver se você sabe desviar. - Sorriu e a aura roxa surgiu ao seu redor, envolvendo o metal que empunhava por completo. - Arma em Ascensão! 

*

Ronan Erudon

- Maldi.. - Sendo acertado em cheio o arcano é arremessado para longe após o impacto. Ao acertar as costas no chão sente o corpo estremecer de dor, com a armadura seriamente avariada e demasiados cortes espalhados pelo peitoral, não tão sérios quanto pareciam, mas que poderiam ser extremamente inconvenientes no decorrer da luta. –Vamos… Acabar com isso… – Fala pausadamente, um pouco arfante. Faz o melhor que pode para se levantar e estando novamente de pé, deixa a dor de lado e ergue novamente a lâmina em direção do imortal. – Pela Glória… De Canaban! – Usando mais de sua determinação do que de sua força física, faz uma investida contra o guerreiro, da um salto e encrava a lâmina próxima dos pés do general, deixando-se desprotegido. – Fúria de Canaban! Cria-se um enorme circulo mágico que irradia uma forte luz azul no terreno e em poucos segundos dezenas de espadas azuis começam a imergir dos escritos arcanos.

*

Ercnard Sieghart

É arremessado para o alto, sentindo as espadas mágicas cortarem seu corpo em diversos locais, a falta de armadura também facilitou para os danos maiores. Ao final do ataque, sentiu toda a gravidade acertá-lo em um único golpe contra o chão. - Hn… - Suspirou dolorido e ofegante, erguendo-se aos poucos e cuspindo o sangue acumulado no chão. - Agora você realmente conseguiu me enfurecer. - Sorriu passando as costas da mão no supercílio, retirando o líquido avermelhado que escorria para cima de seus olhos. - Isso é só o começo. - Desembainhou ambas as espadas e partiu para cima dele. - Ataque adrenalina!

*

Ronan Erudon

Apara o máximo de estocadas desferidas possível, quando os golpes começam a acertá-lo ao invés do rapaz recuar, ele colocou-se mais adiante, permitindo que as lâminas gêmeas perfurassem ainda mais profundamente seu peitoral. Fazendo dessa súbita aproximação um ataque suicida ao acertar horizontalmente o ombro do imortal com o máximo de força possível, quando o fez a aura avermelhada do Gládio drenou uma pequena quantidade de sangue ao romper a pele do guerreiro e com isso o arcano sentiu os cortes mais superficiais se fechando, porém o alívio fora logo esmagado pela dor lancinante. –Maldito… Imortal.. – Com suas últimas forças encosta a mão livre sobre a própria arma e cria um Escudo Rúnico ali para que a espada se aprofundasse ainda mais no ombro do adversário, em seguida o Canabanense desaba para trás caindo com tudo na grama, manchando-a com o próprio sangue.

*

Ercnard Sieghart

Resmungou algumas profanações, observando o outro cair e soltou suas lâminas no chão, usando de uma de suas mãos para tentar desencravar o gládio enterrado em seu ombro. Com a faceta de dor e muita força de vontade, arrancou-o, jogando no chão perto de suas espadas. E então olhou para o outro desacordado. - Essas crianças realmente me dão um cansaço… - Suspirou e, sem forças, sentou-se ao lado do corpo estirado do outro, apoiando a cabeça em seus braços cruzados sobre os joelhos erguidos. - Me dê alguns minutos e arrastarei seu traseiro gordo até a base para as garotas darem um jeito em você, pirralho. - Soltou um suspiro cansado, apesar das palavras, seu tom era pacífico e em seu rosto um sorriso tranquilo surgia. - Apesar de que acho que estou ficando louco de conversar com alguém inconsciente. - E uma curta risada.

*

Ronan Erudon

Entreabre os olhos o suficiente para ver o imortal preparando-se para carregá-lo. - Isso foi.. divertido - fala quase sem forças, sem fôlego e sussurra - Explosão teleguiada.. - Com seu último momento de lucidez, faz com que as três explosões ocorram no ombro gravemente ferido do imortal, amputando-lhe o braço. Com um sorriso avermelhado finalmente cai no esquecimento e desmaia satisfeito.

*

Ercnard Sieghart

Caiu no chão, angustiando de dor. Sua única mão segurando fortemente seu ombro judiado e os dentes trincados com força. Fúria, dor, um sentimento de sentir-se, sem mais, traído. Ergueu-se, ainda tremendo pela sensação, e pegou o gládio do chão com sua mão rubra pelo sangue fresco, fixando seus olhos no rapaz caído. - Você vai aprender a não ser tão baixo em um duelo amistoso. - Sussurrou, sombrio, e com a espada do guerreiro decapitou o arcano, deixando o sangue espirrar, avermelhando tudo ao seu redor. Ainda segurando a empunhadura da arma, ergueu a cabeça pelos cabelos, outrora azulados, e se dispôs a subir a alta colina que havia nas redondezas. Quando conseguiu uma ótima vista de Canaban, soltou a cabeça no chão e a segurou com um dos pés, logo depois encravando a espada em sua lateral, deixando os olhos sem vida avistarem a cidade ao longe por toda a eternidade. Ainda riu, maldoso. - Pela glória de Canaban, Erudon.

 

 

                                                                          

Edited by SemCrise
  • Like 4
Link to comment
Share on other sites

Eadryiel    74

Amei, essa é a historia que dá origem a fic "colina amaldiçoada de Canaban" ne?

Quero saber mais sobre esta historia, está incrivel.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

SemCrise    216
23 horas atrás, MiRo disse:

Amei, essa é a historia que dá origem a fic "colina amaldiçoada de Canaban" ne?

Quero saber mais sobre esta historia, está incrivel.

#52

Edited by SteaIth
Link to comment
Share on other sites

DarkShiro    156

Gostei da história ficou muito boa, mas acho que a forma que vc contou, alternando entre os 2 crie uma desconexão na transição ficando meio confuso, mesmo assim ficou legal :gc17:

Link to comment
Share on other sites

SemCrise    216
17 horas atrás, Cotetsu disse:

que cacete do cacete que o "erudon" levou eim credo perdeu a cabeça Ç.Ç 

é um lance de imortais remover a cabeça de seus adversários haha

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 4 months later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...